Desenvolvimento Sustentável nos negócios

Desde o ano de 2015, governos, empresas, instituições organizacionais e sociedade têm tomado suas decisões e ações com base em um objetivo comum: garantir o atingimento da Agenda 2030 dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU (ODS). A Agenda foi criada diante da urgência de combater as mudanças climáticas, pelo crescimento da demanda da sociedade por uma atuação socioambiental responsável, assim como para diminuir as desigualdades no mundo.

Os 17 Objetivos são divididos em cinco áreas: pessoas, planeta, prosperidade, paz e parceria. E possuem 169 metas a serem alcançadas ao longo de 15 anos de sua implementação. Devido a sua capacidade de gerar mudanças significativas para o atingimento das metas, o setor privado se encontra como um ator essencial na promoção de ações que envolvam as cinco áreas dos ODS. Bem como, é capaz de adaptar seu funcionamento e serviços a fim de alavancar seus negócios tendo o desenvolvimento sustentável como seu guia de gerenciamento.

No Brasil, é crescente a aderência das organizações privadas ao Pacto Global pelas ODS. Em 2015 havia cerca de 500 signatários e, atualmente, já há aproximadamente 800 membros, o que significa um crescimento de 70% nos últimos anos.

Algumas empresas no Brasil, como a MRV, Unilever e Natura já estão atuando na aplicação dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável e muitas delas, inclusive, vêm se tornando signatárias do Pacto Global (UN Global Compact).

A empresa MRV, maior construtora do Brasil, por exemplo, desenvolve ações como:

  • Monitoramento da cadeia de fornecedores para garantir que os direitos humanos estejam sendo cumpridos;

  • Revitalização dos empreendimentos para prover um ambiente saudável e incluso para a comunidade;

  • Redução do consumo de água e seu reuso em diversas operações;

  • Desenvolve relatórios de gases de efeito estufa de suas operações;

  • Compensa seu impacto por meio da aquisição de créditos de carbono.

Várias ações que vão ao encontro do Objetivo 13, o qual possui medidas de combate às alterações climáticas.

Aderir aos ODS também é um investimento para melhores negócios. Algumas das principais oportunidades trazidas pelos ODS são: influenciar as políticas públicas, estabilizar sociedades e mercados, utilizar uma linguagem comum e um propósito compartilhado, além de acesso a novos mercados, o que influencia na imagem e valorização da empresa.

A Co.place Coworking reconhece o impacto positivo que pode causar na sociedade e aderiu a Agenda 2030, através do Projeto Ecoworking que será desenvolvido em seus ambientes (Rio Grande e Pelotas) e demais integrantes da comunidade do Pelotas Parque Tecnológico - empresas residentes, instituições de ensino, entes públicos, empresas parceiras e associadas, clientes e visitantes.

Conforme os pilares de desenvolvimento sustentável da Co.place - Consciente Coletivo, Produção Local e Gestão de Materiais e Resíduos, estamos desenvolvendo ações que englobam os seguintes ODS:

  • 2 - Fome Zero e Agricultura Sustentável;

  • 12 - Consumo e Produção Responsáveis;

  • 13 - Ação Contra a Mudança Global do Clima.

Desenvolver impacto social, contribuir para o desenvolvimento sustentável e conectar diversos setores na Agenda 2030 será nosso guia.

"Agora, mais do que nunca na história da humanidade, compartilhamos um destino comum. Só conseguiremos atingi-lo se trabalharmos juntos." - Kofi Annan

Renata Padilha é estudante de Relações Internacionais na UFPEL, foi delegada da 23ª Youth Assembly da ONU e faz parte do Núcleo ODS Regional Sul. Renata também faz parte da Co.place Coworking desenvolvendo projetos relacionados à Agenda 2030 dentro de nossos ambientes e Pelotas Parque Tecnológico.

#ODS #coplace #coworking #ONU #ecoworking #pelotasparquetecnologico #sustentabilidade #agenda2030 #consumoconsciente #producaolocal #gestaoderesiduos

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Nenhum tag.
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square